CIDADES SAUDÁVEIS: BRASIL E PORTUGAL, CAMINHOS QUE SE ASSEMELHAM E SE DISTINGUEM

Sanmya Feitosa Tajra, Paula Carnevale Vianna

Resumo


Este artigo é um recorte da pesquisa de doutoramento “Cidades Saudáveis: utopia ou caminho para o Planejamento Urbano em cenários de crescente complexidade” e visa a analisar a proposta ‘Cidades Saudáveis’, da Organização Mundial de Saúde, como aproximação dos campos interdisciplinares e complexos do Planejamento Urbano e da Saúde Coletiva de modo crítico, reflexivo e propositivo a partir da experiência de implementação dessa iniciativa no Brasil e em Portugal. São apresentadas as principais características dos sistemas de saúde dos dois países, os principais enfrentamentos para a implantação na experiência de mais de 20 anos da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis e as vivências brasileiras de implantação do programa. A análise deu-se por meio do mapa cognitivo Strategic Options Development and Analysis - SODA, que modelou o problema e foi construído a partir de entrevistas com stakeholders portugueses envolvidos com a experiência lusitana. As vivências brasileiras foram analisadas a partir de artigos científicos de análise crítica e situadas em relação ao mapa construído para o cenário português. O estudo mostrou existir elevada similaridade entre os enfrentamentos para a implantação da proposta nas experiências brasileiras e as vivenciadas em Portugal, apesar das acentuadas diferenças entre os dois países e dos avanços lusitanos em relação aos clusters analisados: governança, conhecimento e acesso às condições socioambientais para uma vida saudável.

Palavras-chave


Planejamento Urbano. Cidades Saudáveis. SODA. Portugal. Brasil.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.