AVALIAÇÃO E MODELAÇÃO DOS SERVIÇOS ECOSSISTÉMICOS EM MOÇAMBIQUE

Sérgio Moisés Anguirai Niquisse, Pedro Cabral

Resumo


A mudança do uso e da cobertura do solo tem afetado negativamente a provisão de serviços de ecossistemas (SE). As avaliações de SE podem prevenir de forma eficaz essa tendência e preservar o capital natural. Neste trabalho, utilizámos os dados de uso e cobertura do solo GlobCover para estudar as alterações nos biomas de Moçambique entre 2005 e 2009. A valorização económica dos SE fornecidos pelos biomas foi feita por intermédio do método de transferência de benefício. Os resultados indicam que as terras de cultivo aumentaram consideravelmente o seu valor de SE entre 2005 e 2009 devido ao aumento da produção de alimentos. O bioma pradaria/pastagens diminuiu substancialmente para apoiar o aumento das terras de cultivo e floresta. As estimativas, realizadas com modelação espacial para 2025, confirmam essa tendência nacional, sendo Niassa, Sofala e Manica as províncias que vão ter o maior crescimento das zonas cultivadas por meio da conversão de pradaria/pastagens para zonas cultivadas. O valor total dos SE de Moçambique foi estimado em 5054.4x10^6 USD para o ano de 2009, i.e., uma variação de -11,4% desde 2005. Espera-se que este valor caia para 4722.2x10^6 USD em 2025, representando uma perda de -17.2% em relação ao valor de 2005. Apesar dessa redução, o valor dos SE para o ano de 2009 ainda representava aproximadamente metade do Produto interno bruto (PIB) para esse ano (10910x10^6 USD). Estes resultados podem contribuir para o desenvolvimento e monitoramento de instrumentos de política que considerem a provisão dos SE.

Palavras-chave


Biomas. Modelo de alteração do uso e cobertura do solo. Transferência de benefício. África. Capital natural.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.